terça-feira, 17 de dezembro de 2019

BLOG DA ETEC DE ARUJÁ EM MANUTENÇÂO

O Blog da ETEC de Arujá está em manutenção.

Caso queira falar com a ETEC entre em contato pelo telefone 4653-3378.


                       

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Três dicas essenciais para uma gestão eficiente da cadeia de suprimentos

A gestão da cadeia de suprimentos é um processo de gerenciamento estratégico dos fluxos organizacionais (de bens, serviços, finanças, informações) bem como as relações entre empresas, visando apoiar e melhorar os objetivos corporativos. A gestão adequada de recursos permite uma produção voltada para oferecer ao cliente final o produto certo, na quantidade certa, pelo preço e nas condições que ele deseja.

gestao tecnologia pix
Imagem de rawpixel publicada no banco de imagens Pixabay

Termo primeiramente lançado no Financial Times, Gestão da Cadeia de Suprimentos (GCS) envolve o fluxo de bens e serviços de maneira eficiente. O sistema abrange todas as etapas envolvidas na aquisição de matérias-primas até os produtos finalizados, de maneira otimizada e agregando valor ao cliente. Como qualquer empresário de sucesso dirá, o GCS é uma parte extremamente crucial das operações.
Entre outras importantes funções, é o GCS que estabelece forte comunicação e relacionamento com os fornecedores, ajudando a evitar atrasos nas remessas e a minimizar erros logísticos. Ainda, uma gestão eficiente oferece melhor poder de negociação para obter as melhores taxas e produtos no menor tempo possível. Por sua vez, isso reduz os custos de estoque e melhora o planejamento e a eficiência gerais das operações.
Tudo isso garante que uma determinada empresa possa oferecer um alto nível de serviço ao cliente e, por sua vez, proporcionar bons resultados financeiros. Com isso em mente, é indiscutível a importância de uma boa gestão. No entanto, às vezes essa é uma tarefa bastante difícil. Para ajudar aos iniciantes no tema, apresentamos uma lista de três dicas essenciais para ajudar nessa importante tarefa.

#1 Invista em aperfeiçoamento da equipe

Qualquer empregado trabalhando na gerência de uma cadeia de suprimentos dirá que fazer o trabalho de forma eficiente e simplificada é como correr em uma pista de obstáculos diariamente. O amanhecer de cada novo dia traz seu próprio conjunto de problemas a serem resolvidos, principalmente com mercadorias caras, frágeis ou perecíveis. Portanto, estratégias de desenvolvimento da equipe se tornam essenciais.
Treinamentos constantes são fundamentais para preparar uma equipe para diferenciar uma empresa de seus concorrentes. Cada vez mais, o diferencial de uma marca está na experiência que ela entrega aos seus clientes no ato da compra, e não apenas na qualidade dos seus produtos ou serviços. Isso vale para qualquer negócio. Um site provedor de cassino online no Brasil, por exemplo, jamais poderia obter sucesso sem uma equipe aperfeiçoada e capaz de atender aos anseios do público-alvo da empresa. O mesmo acontece com a GCS. As estratégias de desenvolvimento de equipe envolvem treinamento formal, mas também treinamento no local de trabalho, coaching, mentoring e rodízio, entre várias atribuições e treinamento com base na modelagem de cenários.

#2 Aposte em novas tecnologias

A tecnologia desempenha um papel imprescindível no fortalecimento do GCS. Por exemplo, implementar um bom sistema de gestão de armazenamento é o que ajuda empresas de sucesso a otimizar suas atividades. Ainda, empresas que desejam atingir um alto nível organizacional também devem considerar investir em software de gestão de transporte, como o Supply Chain Solutions.
O uso de sistemas computadorizados de remessa e rastreamento ajuda a integrar todas as operações em um painel. Além disso, é possível ter esse painel em dispositivos móveis, o que significa ter a possibilidade de organizar dados de inventário, gerenciar remessas, monitorar a distribuição etc. – tudo no conforto do escritório ou nas mãos do usuário.

caminhoes ferrari iveco
Imagem de Gregor publicada no banco de imagens Pixabay

#3 Encontre fornecedores seguros

É impossível esquecer da importância de encontrar os fornecedores certos. Ao escolher fornecedores, o custo não é o único fator. O mais importante é selecionar fornecedores confiáveis. Isso permite a responsabilidade de oferecer a melhor qualidade ao cliente possa ser cumprida. É importante fazer uma pesquisa completa para identificar aqueles que têm uma forte reputação em manter altos padrões de qualidade, atendimento ao cliente e praticar formas éticas de fazer negócios.
Essas três dicas são fundamentais para alavancar uma boa gestão da cadeia de suprimentos. Aperfeiçoe a equipe, agarre-se em novas tecnologias e encontre fornecedores seguros. 

domingo, 8 de dezembro de 2019

Técnica Pomodoro – aumente sua produtividade no trabalho e estudos


Você já deve ter ouvido muitas vezes a frase “tempo é dinheiro!”, certo? A verdade é que tempo é ainda mais valioso do que dinheiro, afinal de contas, uma vez perdido, ele nunca mais poderá ser recuperado.
Neste post nós vamos te mostrar uma ferramenta de gestão de tempo muito conhecida: a técnica Pomodoro. Você poderá aplicá-la para aumentar a produtividade em suas tarefas do trabalho ou estudo.
Mas o que é exatamente gestão do tempo?










Gestão do tempo, ou gerenciamento do tempo, basicamente é a prática de administrar o tempo disponível para cumprimento do que é necessário. É a gestão do tempo que tornam os esforços de cada pessoa cada vez mais eficazes, com a ideia central de fazer o melhor trabalho em menor tempo.

O que é a técnica Pomodoro?

A técnica Pomodoro foi desenvolvida no final dos anos 80 pelo italiano Francesco Cirillo, que procurava uma maneira de aumentar sua produtividade nos estudos durante os primeiros anos de universidade. Para isso, ele utilizou um timer de cozinha para organizar suas tarefas.
A técnica Pomodoro possui este nome pois este timer de cozinha tinha o formato de tomate e tomate em italiano é pomodoro.






Como a técnica Pomodoro funciona?


A técnica se baseia na ideia de divisão do nosso fluxo de trabalho ou estudo em blocos de foco intenso. Desta forma nós estaremos estimulando nossa agilidade e concentração. Em outras palavras, melhoramos nossa gestão do tempo e ficamos mais eficientes. Para colocá-la em prática você vai precisar de:
  • Timer ou cronômetro para fazer contagem regressiva (pode usar o cronômetro do celular desde que as outras funções dele não o distraia).
  • Sua lista de tarefas (“to-do-list”)

Passo a passo para aplicação da técnica Pomodoro:

1) Programe o cronômetro para 25 minutos
2) Escolha uma das tarefas e trabalhe nela sem interrupções (esqueça redes sociais e se possível busque um local onde não será interrompido)
3) Ao final dos 25 minutos, quando o despertador tocar, faça uma pausa de 5 minutos (a sugestão mais indicada é que você se levante e faça algum exercício, beba água, café ou vá ao banheiro).
4) Retome o trabalho imediatamente depois que o tempo de pausa acabar e ajuste o cronômetro novamente para mais um “pomodoro” (25 minutos)
5) Repita os passos anteriores por mais 3 vezes e no quarto “pomodoro”, faça uma pausa mais longa: 30 minutos até voltar ao trabalho.
6) Risque a tarefa da sua lista depois que terminá-la







Benefícios da aplicação da técnica Pomodoro em sua rotina
Os objetivos da técnica Pomodoro estão ligados à diminuição da ansiedade e ao aumento do foco e concentração nas tarefas, evitando tempo desperdiçado e distrações.
Ao anotar no papel o que precisa ser feito, você consegue não só organizar melhor suas atividades, como também estabelecer metas para cada dia ou período. Assim, torna-se mais fácil acompanhar seus resultados e avanços.
A Técnica Pomodoro é bem interessante para evitar a procrastinação (afinal, um “pomodoro” só dura 25 minutos, é relativamente fácil controlar a ansiedade pra não mexer no celular por esse tempo, né?) e é boa para quem precisa de uma ajudinha pra se concentrar. Só que fica a dica: se for preciso, encontre a melhor maneira de adaptar a técnica a sua necessidade.

sábado, 7 de dezembro de 2019

Redes sociais profissionais: além de emprego, a vitrine para o seu negócio

Engana-se quem pensa que elas só devem ser utilizadas por quem está à procura de um emprego

Fim de um ano chegando, início de novo ciclo se aproximando e, com ele, uma lista de desejos que inclui o âmbito profissional; seja crescer no atual emprego, buscar outra oportunidade ou dar uma guinada, deixar a zona de conforto e tomar as rédeas da carreira, sendo o próprio patrão.
Hoje, a tecnologia é uma grande aliada que nos traz um vasto campo de ideias novas e que nos ajuda a implementá-las e impulsioná-las. Uma boa ferramenta e um campo fértil para isso são as redes sociais voltadas à área profissional.
Engana-se quem pensa que elas só devem ser utilizadas por quem está à procura de um emprego. Se você vai abrir seu próprio negócio, essas redes são também ótimas vitrines para vendas. Ali, respira-se ambiente corporativo, seriedade, credibilidade, não havendo espaço para discussões políticas, nem inundações de memes. Ali, quem procura o que quer, deve achar com facilidade.
Em outros tempos, não havia muitos meios de pesquisar sobre uma empresa, antes de adquirir um produto ou serviço. Hoje, com o mundo conectado, o cartão de visitas está na internet e, diante da imensidão de opções, vender requer muito mais habilidade para se destacar diante de tanta concorrência. Diferencial é a palavra de ordem e já precisa ser evidenciada logo de cara, no perfil da sua rede social.
Pense como o cliente: se eu estivesse do outro lado da tela, buscando aquele produto ou serviço, quais informações seriam relevantes para a minha decisão? Responda à essas questões ao preencher a sua página e utilize palavras chaves específicas, que tenham a ver com o seu segmento e que, através delas, seja mais fácil as pessoas que pesquisam por esse setor chegaram até você.
Dentro da rede, com o uso de palavras chaves, pesquise o seu público alvo e estabeleça conexões que têm a ver com o que você oferece, se apresente ao fazer o convite, para demonstrar que essa conexão pode ser uma boa troca de experiências. O ato de vender é transformar atenção em relacionamento, que consequentemente se converte em proposta para, enfim, atingir o objetivo: fechar negócio.
Marque presença na rede, postando conteúdos importantes sobre o mercado em que atua, se posicione como especialista naquilo que faz (e explique os porquês dessa expertise) e ofereça insights. Escreva artigos, mostre sua propriedade ao falar sobre os temas da área. Interaja, comentando as postagens de suas conexões, participando de grupos de discussão, compartilhando suas análises. Enfim, esteja diariamente presente, reserve ao menos 30 minutos do seu dia nessa prospecção, pois já dizia um tradicional refrão: quem não é visto, não é lembrado.
E como o spam é inimigo número um do usuário de internet, não faça uso robôs para envio de mensagens automáticas e para criar conexões em grande escala. Isso não é nada estratégico, muito pelo contrário, surte efeito negativo ao invés de ajudar a prospectar clientes. Vender é um ato que une tática, comportamento e, acima de tudo, relacionamento. A tecnologia veio para agregar a esses fatores, alavancando sua presença e quebrando fronteiras.
Seguindo esses e outros passos dentro das redes sociais profissionais, na sua lista de desejos, no que diz respeito ao âmbito profissional, você caminhará rumo a um ano novo literalmente feliz e próspero.
Por Liliam Leal – especialista em Marketing Digital e Empreendedorismo

sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

Navio submerge e retorna à superfície com outra embarcação em sua plataforma após manobra da Praticagem

Já imaginou um navio de 255 metros de comprimento submergir e retornar à superfície com outra embarcação menor em sua plataforma? Parece cena de filme, mas aconteceu no litoral paulista. A inédita manobra foi realizada na última semana semana no canal entre São Sebastião e Ilhabela, coordenada pela Praticagem do Estado de São Paulo.manobra praticagem cosco

Imagem da operação enviada pela assessoria de imprensa da Praticagem SP

O navio submersível doca Xin Guang Hua, de bandeira de Hong Kong, chegou ao litoral paulista no dia 19 e foi posicionado com precisão em local específico, no qual foi submergido parcialmente até a profundidade de 27 metros. A operação foi necessária para receber em seu convés-plataforma o navio Chipol Taihu, de 188 metros de comprimento. Este navio estava com os sistemas de propulsão e de geração de energia avariados, tendo sido rebocado a partir do Porto do Rio Grande, no extremo Sul do Brasil.
As duas embarcações são da mesma operadora, a Cosco China, que resolveu montar esse esquema delicado para garantir que o navio e sua valiosa carga, de cerca de 40 mil toneladas de toras de madeira para a indústria de celulose, fossem levados com segurança para o território chinês. A Marinha do Brasil e a Autoridade Portuária de Santos acompanharam toda a operação, mas previamente já tinha sido constatado que a manobra não implicaria em qualquer risco ambiental.
Realizada pela Praticagem do Estado de São Paulo, a operação contou com a assessoria de dois práticos: Hermes Bastos e Flavio Peixoto. O prático Hermes explicou detalhes sobre a operação. "A Praticagem de São Sebastião foi consultada sobre a possibilidade de acompanhar essa manobra de imersão do navio doca e de docagem do navio avariado. Além de nós, a companhia chinesa também fez contatos com a praticagem do Rio de Janeiro, para realizar a operação na Ilha Grande, e praticagem da Bahia, para realizar na baia de Todos os Santos, em Salvador. Nós tínhamos uma data limite, até o início de dezembro, devido à chegada dos navios de cruzeiro que ocupariam a área escolhida para a operação. Mas ficou decidido que a operação seria realizada em torno de 15 a 20 de novembro. Assim que o serviço foi contratado, fizemos o levantamento batimétrico, com nossa equipe de batimetria, utilizando sonda multifeixe, que forneceu dados bastante detalhados das profundidades locais. Encontramos uma área bem grande, de 34 metros de profundidade, ideal para o que necessitavam, e as condições meteorológicas (vento, corrente, ondulação e visibilidade) esperadas também seriam favoráveis para a execução do trabalho".

xinguanghua praticagem drone
Imagem aérea feita por drone - Foto: Praticagem de SP

Hermes conta que os superintendentes das operações de docagem da Cosco vieram especialmente da China para acompanhar a operação no navio. Também veio o representante da empresa Zvitzer de rebocadores, que executou toda a faina de reboque desde Rio Grande até a fase final da manobra. Foram realizadas na sede da Praticagem do Estado de São Paulo três reuniões preparatórias com todas as equipes envolvidas para acertar todos os detalhes relativos à delicada operação.
O navio doca entrou na Barra Norte e foi fundeado pelos práticos com precisão na posição determinada no dia 19 pela manhã. Na última quarta-feira, às 4 da manhã, foi iniciada a operação para submergir parcialmente o Xin Guang Hua, cujo término aconteceu em torno das 8 horas. Após submergir, a embarcação foi levada até 27 metros (para dar uma ideia, o equivalente a um prédio de oito andares) para atingir a profundidade desejada e com água suficiente para receber a embarcação avariada. Na sequência, o navio foi mantido alinhado contra a corrente e o vento, pelo prático Hermes, usando os rebocadores. Enquanto isso, às 6 da manhã, o prático Flávio embarcava no navio avariado, o Chipol Taihu, sem propulsão e sem energia, puxado por três rebocadores, para o ponto de encontro com o navio semissubmerso.
Após duas horas de reboque no canal de São Sebastiao, o prático Flávio entregou o navio Chipol Taihu na posição desejada. A partir desse ponto, o navio foi cuidadosamente puxado para dentro da plataforma-doca do navio Xing Guang, auxiliado por rebocadores e cabos especiais. "Foram três horas e meia só para deslocar o navio avariado por cerca de 200 metros, tudo muito lentamente para evitar um acidente. A outra etapa seria trazer o navio doca novamente para a profundidade normal, de navegação, após receber a carga. Para isso, eles bombeiam para fora a água dos tanques de lastro, até chegar ao nível de flutuabilidade necessária, com cerca de 11 metros de calado. Depois disso, nos dias subsequentes, serão feitas as soldas das estruturas no convés de carga, formando um picadeiro para apoiar o navio avariado com segurança, para garantir estabilidade e sustentar a embarcação até a viagem à China", complementou Hermes.

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Como desenvolver as habilidades requisitadas pelo mercado em 2020?

Estar preparado para o mercado de trabalho é uma tarefa que deve ser colocada como prioridade para quem quer impulsionar sua carreira

Você já deve ter ouvido falar em Indústria 4.0? E você sabia que esse termo se refere a uma possível quarta Revolução Industrial? Se a sua resposta é não para as duas perguntas, é melhor você se preparar, pois sua carreira pode estar em risco. Termo cunhado pelo alemão Klaus Schwab, diretor e fundador do Fórum Econômico Mundial, a Indústria 4.0 é uma realidade e trouxe com ela uma nova relação entre tecnologia e mercado de trabalho. E não pense que essa mudança se reflete somente com quem trabalha na área industrial. Todos somos afetados pela nova tendência.
Mas, na prática, o que a sua carreira tem a ver com isso? A automatização de processos é uma grande realidade, e muitas profissões correm o risco de ser extinguidas em breve, como é o caso de operadores de máquinas, por exemplo. Mas outras profissões tradicionais também estão em risco. O site “will robots take my job”, por exemplo, mostra, em porcentagens a probabilidade de uma profissão ser substituída por robôs nos próximos 20 anos, e os resultados podem ser assustadores. “O profissional do futuro deve estar preparado para sobreviver a essas mudanças. Hoje não podemos mais pensar em um alguém que só se especializa tecnicamente, uma vez que a inovação pode substituir de maneira muito mais otimizada habilidades técnicas. Para sobreviver a esse cenário será preciso desenvolver outras habilidades como inteligência emocional, criatividade, negociação, comunicação e outras habilidades decisivas para se manter no mercado de maneira diferenciada e segura”, afirma Hendel Favarin, um dos fundadores da escola Conquer, que é especialista em treinamentos nesta área.

Habilidades do futuro

Em frente a toda essa inovação e às tendências de mercado os especialistas da Conquer legeream quais são as habilidades para entender melhor quais são essas habilidades e de que maneira colocá-las em prática já em 2020. Confira:

1. Trabalhar as soft skills

Já é realidade. Habilidades como ser adaptável às mudanças, desenvolver a inteligência emocional, a empatia e, sobretudo, saber trabalhar em equipe é primordial neste mercado exponencial. Por isso, constantemente investir em cursos, leituras e práticas que levem ao desenvolvimento dessas habilidades é um bom caminho.

2. Descobrir suas habilidades empreendedoras

Nem todo mundo que tem uma boa habilidade empreendedora tem que ser empreendedor. Para além de abrir um negócio, desenvolver o espírito empreendedor é despertar a curiosidade, a iniciativa, a criatividade e a inovação, e, mais importante, fazer acontecer. Hoje as corporações, que também estão se adaptando às mudanças, querem um colaborador que tenha iniciativa, que saiba despertar na empresa o melhor dela, oferecendo espaço e autonomia para esse tipo de profissional. Assim, propor soluções diferenciadas, trazer inovação para dentro da empresa é essencial para a jornada profissional.

3. Melhorar pontos-chaves: produtividade, segurança e inovação

Mas, como assim? Isso mesmo. Não basta saber muito bem executar tecnicamente suas tarefas. Para se preparar para o mercado, é preciso uma série de fatores que vão fazer com que você se diferencie. A gestão do tempo é um desses fatores e que pode ser decisivo no cumprimento de metas e tarefas. Organize seu dia, utilize ferramentas como lembretes, assistente de voz, planners e o que mais for necessário para que você tenha controle do seu tempo. “Outros dois fatores fundamentais são as habilidades de oratória e de negociação. Por mais que pareça simples, saber se comunicar de forma assertiva e estar preparado para negociar ideias, prazos, demonstra profissionalismo e pode ser a chave para ter sucesso nas proposições de ações positivas na carreira”, garante Favarin. Além disso, a inovação é um requisito quase básico para a Indústria 4.0. Mas é importante lembrar que a inovação não está somente ligada à tecnologia, aplicativos e softwares, mas também a processos, produtos e ideias que façam com que o negócio se diferencie e se torne ainda mais competitivo. Com esses pontos desenvolvidos, a chance da sua carreira se destacar torna-se cada vez maior.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Hoje (04/12/2019) Os alunos no 3º Administração matutino apresentaram seus Trabalhos de Conclusão com excelência. Parabéns pelos trabalhos!!!







No dia 03 de dezembro de 2019 contamos com as apresentações dos Trabalhos de Conclusão de Curso da Turma do 3º ETIM, como sempre nos abrilhantaram com suas apresentações empeçáveis.
Desejamos muito sucesso na próxima caminhada!









Atenção, RH: permita o trabalho remoto!

A tecnologia para o trabalho remoto já existe e está disponível

Atenção, RH: permita o trabalho remoto!

O ambiente de trabalho atual está mudando rapidamente. Os colaboradores estão mais desafiadores, mais exigentes e esperam mais de seus empregadores. O desafio do futuro do trabalho consiste em aumentar o engajamento, a produtividade e a experiência dos funcionários. A relação entre esses três pilares já é bem conhecida pelos principais gestores mundiais.
Mas aonde entra a afirmação do título deste artigo?
De acordo com a pesquisa O trabalhador digital em 2019, realizada pela Citrix em diversos países da América Latina, um total de 59,02% dos entrevistados brasileiros respondeu que o fator mais importante na hora de escolher um emprego é a possibilidade de equilibrar vida pessoal e profissional, ficando atrás apenas do salário (82,79%). A pesquisa também revelou que esse também é considerado o principal benefício do trabalho remoto na visão dos entrevistados (34,43%), ou seja: poder equilibrar vida pessoal e profissional, além de ser um dos principais fatores de atração e fidelização de talentos.
Porém, há um contrassenso: apesar da maioria das empresas brasileiras permitir o acesso a informações com dispositivo pessoal (71,79%), fornecendo inclusive ferramentas para isso, a maior parte delas (68,03%) não permite o trabalho remoto.
Quer dizer, a tecnologia para o trabalho remoto já existe e está disponível, mas essa modalidade de trabalho ainda não é amplamente adotada no país. O que é um desperdício de engajamento – e de dinheiro – para as empresas.
Nos tempos atuais, podemos observar cada vez mais pessoas trabalhando em diferentes locais que não a sede de sua empresa, de coworkings a quartos de hotel. Essa tendência acompanha a flexibilização das empresas – que acontece ainda de forma insuficiente ­– mas também acontece por conta da popularização e disponibilização de espaços de trabalho inteligentes (e remotos).
Alguns dos mais “tradicionalistas” devem relutar ao deixar seus colaboradores sem supervisão, muito provavelmente por acharem que eles ficarão mais suscetíveis a interferências externas ou distrações que possam comprometer seu engajamento para com as tarefas. Mas será que esse temor tem fundamento?
De acordo com os próprios colaboradores: não!
Do total de entrevistados no Brasil, 34,43% afirmaram que sua produtividade trabalhando remotamente é superior comparada à quando trabalham alocados. 51,64% afirmaram que a produtividade se mantém, e apenas 13,93% responderam que são menos produtivos trabalhando remotamente.
Como já mencionei no início, todo grande gestor conhece a relação entre experiência, engajamento e produtividade. Ao não permitir o trabalho remoto, mais da metade das empresas do Brasil está “sabotando” esta equação e, consequentemente, seus próprios resultados.
Com o correto uso das tecnologias mais recentes, é possível garantir segurança, facilidade e integração de processos – mesmo longe da sede da companhia.
Por Luis Banhara, diretor-geral da Citrix Brasil

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

O que é automação logística?


A automação logística é uma peça-chave na estratégia de qualquer empresa. Por melhor que seja o produto, se não houver uma forma eficiente para disponibilizá-lo sem erros, a um custo competitivo e em tempo hábil, não há como se manter no mercado.
A concorrência está cada vez mais forte, o que exige atenção total à melhoria de processos e à utilização de tecnologias e ferramentas para aperfeiçoar a rotina, aumentar a produtividade e reduzir os custos.
Neste artigo, abordaremos o que é automação logística, como ela funciona, a sua importância e os benefícios para as empresas. Quer saber mais? Então continue a leitura!

O que é automação logística?

Automação logística consiste na adoção de tecnologia, equipamentos e sistemas de gestão com o objetivo de automatizar tarefas, para que essas sejam executadas sem a intervenção (ou com a mínima possível) de pessoas. A ideia é reduzir ao máximo a quantidade de trabalhos e controles manuais.

Como ela funciona?

Ela pode ocorrer de diversas formas. Desde a simplificação de processos, com a eliminação de uma dupla conferência a níveis mais avançados, até a utilização de sistemas para trocar informações. Embora a tecnologia exija investimento, os ganhos em produtividade e acuracidade são expressivos.
Entre os principais sistemas que auxiliam nesse processo, podemos citar:
  • TMS: software para otimizar a rotina de transportes, como roteirização, contratação de transportadoras e controle de fretes;
  • WMS: sistema de gerenciamento de armazéns. Auxilia a gerenciar estoques, recebimento, armazenagem e distribuição de mercadorias;
  • ERP: sistema responsável por integrar os sistemas das diversas áreas da empresa e automatizar a comunicação entre elas.

Por que é importante para as empresas?

Na maioria dos negócios, o custo logístico corresponde a uma das principais fatias do orçamento. Logo, quanto mais produtivo, maior será a margem de lucro da empresa. Outro fator a considerar é que a automação permite que os colaboradores foquem em atividades que agregam maior valor para a organização, visto que rotinas são feitas de forma automática.
Com maior foco, é possível criar projetos mais relevantes e dar mais atenção aos clientes e processos, melhorando o nível de serviço e criando diferenciais competitivos em relação aos concorrentes.

Quais os benefícios?

Redução dos custos

Geralmente, esse é o principal motivo na busca pela automação logística. A redução de custos ocorre de diversas formas. Entre as principais, estão:
  • maior produtividade;
  • eliminação de retrabalhos;
  • redução do tempo de paradas;
  • redução drástica nos erros operacionais (em alguns casos, eliminando-os completamente);
  • facilidade de controle;
  • redução de acidentes.

Integração de informações

A integração entre os sistemas possibilita ter o controle dos dados integrados e centralizados em uma base de dados única. Assim, é possível ter acesso a informações relevantes de qualquer área.
Outra vantagem é a confiabilidade dos dados. Diferentemente de planilhas ou papéis, que podem facilmente ser manipulados, os sistemas garantem a fidelidade e a integridade dos dados.

Apoio na tomada de decisões

Com a disponibilidade de dados seguros, com fácil acesso e de várias áreas da empresa, é possível fazer correlações para identificar forças, fraquezas, oportunidades e ameaças, possibilitando a criação de estratégias eficazes.
Os indicadores de desempenho também possibilitam uma forma eficaz de saber como estão os resultados e agir rapidamente para o atingimento das metas.
A automação logística permite que a empresa elimine desperdícios e retrabalho e melhore processos e a comunicação entre as áreas. Como resultado, a companhia consegue reduzir custos e ter à disposição informações relevantes em tempo real e um grande parceiro na tomada de decisões.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

Projeto Biblioteca Ativa apresentou o 7º SARAU DA LUZIA MARIA!
No dia 30/11/2019 a Etec Prof.ª Luzia Maria Machado realizou mais um sarau, como sempre com a participação de nossos queridos alunos o sarau foi um show de talentos
















!

Incentivo ao colaborador pode ser a chave de sucesso das empresas

"O tratamento do colaborador e a valorização oferecida é o que mais inspira e empenha o esforço de cada profissional"

Segundo estudo feito pela Associação de Marketing Promocional (Ampro), mais de 68% das empresas brasileiras já utilizam ferramentas de incentivo de forma estratégica para retenção de talentos. Esse dado reforça ainda mais que a motivação interna é um dos pontos mais importantes para o crescimento empresarial. Quando os empreendedores e gestores proporcionam aos colaboradores estímulos diferenciados na carreira, consequentemente eles se sentem realizados e parte do time, corroborando com o aumento da produtividade.

Por outro lado, ambientes de trabalho dominados pela pressão na excelência dos resultados, provoca medo ou insatisfação dentro da organização.

Em diversas situações, algumas empresas acabam fazendo mal-uso dos investimentos que poderiam ser úteis para ações motivacionais, dinâmicas comportamentais, entre outros, criando gargalos que impossibilitam o objetivo dos gestores de aproximar funcionários e empresa.

Uma pesquisa realizada pela Right Management, especialista global em carreiras, com mais de 30 mil pessoas - sendo 10 mil brasileiras - aponta que profissionais motivados são 50% mais produtivos. O tratamento do colaborador e a valorização oferecida é o que mais inspira e empenha o esforço de cada profissional pela empresa, independente da área de atuação.

Com objetivo de melhorar cada vez mais o índice de satisfação dos trabalhadores, o marketing de incentivo surgiu para encorajar que todos realizem suas funções e estejam engajados com o propósito do negócio, criando um ambiente mais saudável, dinâmico e eficiente.

Ao contrário do que muitos pensam, a realização profissional é algo intransferível e cada um tem seus planos e desejos, sendo assim, pensar em uma ação que possibilite diferentes recompensas é o melhor caminho. Nestes casos, é imprescindível que a liderança e gerência estejam próximos de suas equipes e tenham um olhar mais analítico para entender e conhecer todas suas características.

Um ponto que acredito que seja essencial esclarecer, é que a grande maioria das pessoas acreditam que o programa de incentivo está relacionado somente ao dinheiro, mas a ideia tem sido cada vez mais focada em aproximar de forma emocional cada colaborador, proporcionando diferentes experiências.

Um outro levantamento realizado pela Associação de Marketing Promocional (Ampro)mostra que hoje em dia pelo menos 96% das empresas consideram importante a premiação dos funcionários e 87% associam a felicidade às premiações ofertadas. Esses dados reforçam que os gestores já enxergam as campanhas de incentivo como estratégias não só de curto prazo.

Por fim, costumo sempre dizer que a motivação anda ao lado do anseio na conquista de algo, portanto é preciso muita persistência para alcançar os objetivos da empresa e do funcionário. E aí, me diz o que você tem feito para se sentir satisfeito?!

Rodolfo Carvalho
 é CEO da Incentivar.io, primeiro software de incentivo do Brasil